"Necessário é encontrar o infinitamente grande no infinitamente pequeno, para sentir a presença de Deus." Pitágoras

terça-feira, 28 de junho de 2011

N.Sra.do Perpétuo Socorro


Talvez este seja o ícone bizantino mais popularmente conhecido de N.Sra. do Perpétuo Socorro. Ontem,  27 de junho, comemorou-se o seu dia. Particularmente, presto aqui uma singela homenagem a ela, já que fui batizada em sua igreja, pelas mãos de seu pároco mais famoso, o padre Alberto Teixeira Ferro, na década de 60. A igreja foi construída na década de 30, no Grajaú, zona norte do Rio de Janeiro, bairro onde nasci e me criei.


Acima: altar-mor da Igreja de N.Sra. do Pérpertuo Socorro - Grajaú/RJ. Foto oficial da Igreja, oferecida aos meus pais, como lembrança, pelo dia do meu batismo. Verso: assinatura do Pde. Alberto Ferro (foto abaixo).

 

 Embora sua edificação tenha se iniciado no começo da década anterior, a igreja em estilo bizantino foi inaugurada somente em 1942, no dia 13 de maio, pelo então cardeal D. Sebastião Leme. A Praça Edmundo Rego, onde está localizada, não seria a mesma sem a imponência e a importância dessa igreja não apenas para a comunidade católica do bairro, mas para os grajauenses de modo geral. Aquela praça foi  - e ainda é - palco de muitas infâncias vividas ali, inclusive a minha, com N.Sra.do Perpétuo Socorro por testemunha.

A igreja em seus primeiros anos. Foto: http://igrejadograjau.blogspot.com

Foto atual.
 


A história da imagem

Na ilha de Creta havia um quadro da Virgem Maria muito venerado devido aos estupendos milagres que operava. Certo dia, porém, um rico negociante, pensando no bom preço que poderia obter por ele, roubou-o e levou-o para Roma.
Durante a travessia do Mediterrâneo, o navio que transportava a preciosa carga foi atingido por terrível tempestade, que ameaçava submergi-lo. Os tripulantes, sem saber da presença do quadro, recorreram a Virgem Maria. Logo a tormenta amainou, permitindo que a embarcação ancorasse, sendo salva num porto italiano.
Algum tempo depois, o ladrão faleceu e a Santíssima Virgem apareceu a uma menina, filha da mulher que guardava a pintura em sua casa, avisando que a imagem de Santa Maria do Perpétuo Socorro deveria ser colocada numa igreja.
O milagroso quadro foi então solenemente entronizado na capela de São Mateus, em Roma, no ano de 1499, e aí permaneceu recebendo a homenagem dos fiéis durante três séculos, até que o templo foi criminosamente destruído. Os religiosos se dispersaram e a santa caiu no esquecimento.
Finalmente, em 1866, a milagrosa efígie foi conduzida triunfalmente ao seu atual santuário por ordem do Santo Padre, que recomendou aos filhos de Santo Afonso de Ligório: – “Fazei que todo o mundo conheça o Perpétuo Socorro”.
(texto retirado do site http://paroquiaperpetuosocorro.net/)

 





Nenhum comentário:

Postar um comentário